Pensão dos servidores federais e militares escapa do corte e não será atingida pela redução no valor

Os servidores públicos federais e os militares escaparam do corte do governo e não serão atingidos pela redução no valor das pensões. A revelação é do jornal “Agora São Paulo”. A medida provisória que altera as exigências para o trabalhador deixar pensão para os dependentes impõe novas exigências aos servidores públicos da União, mas mantém o cálculo atual. A partir do dia 1º de março, os servidores precisarão de dois anos de atividade para deixar uma pensão ao companheiro e aos filhos. O prazo mínimo de união ou casamento, de dois anos, também foi instituído aos servidores federais. A “pensão-brotinho”, paga a viúvas jovens, não será mais vitalícia, e seguirá a mesma tabela de idade do INSS. Ou seja, só receberá a pensão vitalícia a viúva que tiver, no mínimo, 44 anos quando o companheiro morreu.