Perdas ou extravios respondem por 40% das ocorrências registradas na Delegacia do Turista em Manaus

No Amazonas, as perdas ou extravios respondem por quatro em cada dez ocorrências registradas na Delegacia Especializada em Crimes Contra o Turista (DECCT), que funciona no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. De janeiro a junho deste ano, 367 ocorrências foram registradas. Destas, 143 foram de perda ou extravio.

Em 2017, essa também foi a ocorrência mais comum, representando 44% das ocorrências. Segundo o delegado da DECCT, Antônio Cláudio Teixeira, os turistas estão mais atentos com os objetos levados durante a viagem, especialmente por causa das orientações tanto da delegacia quanto dos consulados, embaixadas e agências de viagens que trabalham em parceria e alertam os viajantes.

O planejamento realizado pela delegacia especializada, da Polícia Civil, é feito em parceria com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), que traçam estratégias de atuação da polícia nas diferentes zonas da cidade, conforme as demandas.

Localização – Segundo o titular da DECCT, os turistas podem procurar outras unidades policiais para registrar o Boletim de Ocorrência. “Há muito fluxo no Centro, então muitos querem registrar o BO no 24º DIP, que fica naquela localidade. Em todo caso, a investigação de crimes contra turistas é feita pela Especializada”, afirmou.

O registro pode ser feito, ainda, na Delegacia Móvel – um ônibus da Polícia Civil que registra boletins de ocorrências de segunda à sexta-feira, entre 8h e 17h. Normalmente, o veículo fica na Praça do Relógio ou em frente ao Mercado Municipal Adolpho Lisboa.

Além disso, a DECCT e a Delegacia Interativa criaram um boletim de ocorrência com disponibilidade em várias línguas para melhorar o atendimento aos estrangeiros. O registro pode ser feito por meio do endereço eletrônico https://www.delegaciainterativa.am.gov.br/#/home

Amazonenses em viagem – Os turistas do Amazonas que tenham sofrido algum crime durante uma viagem para outro Estado ou ao exterior e só tenham percebido o ocorrido no retorno podem registrar o crime na Delegacia Especializada em Crimes Contra o Turista (DECCT). Nestes casos, a delegacia remete o caso para apuração na região onde o fato ocorreu e presta auxílio e orientações à vítima.

A DECCT trabalha dando suporte aos turistas que chegam ao Estado e aqueles que residem no Amazonas. A autônoma Karol Brandão, que está de mudança para Portugal, foi vítima do crime de estelionato. Depois de ver um anúncio em uma rede social, com um valor menor do que o de mercado, realizou a compra de passagens áreas por meio de troca de mensagens. Assim que efetuou o pagamento, ela perdeu o contato com a agência localizada no Rio de Janeiro.

Para as denúncias, as vítimas precisam guardar o máximo de informações ou comprovantes que ajudem a demonstrar o dano. A orientação para evitar prejuízos é sempre procurar empresas com atuação reconhecida no mercado. “O importante é sempre registar a ocorrência para buscar a reparação do dano”, enfatizou o delegado.