Permuta e reinvenção do mercado imobiliário

Após décadas em alta, Nova Iorque sofre queda e apresenta nova prática na aquisição de imóveis

O momento de crise – para uma empresa ou para uma pessoa – pode ser encarado como fim de uma era, projeto ou sonho. Mas para quem está atento ao ambiente ao redor, pode também ser uma saída e até atrair resultados melhores. Basta usar a criatividade, ter muito empenho e vontade!

Durante anos, o mercado imobiliário de Nova Iorque era considerado o mais dinâmico, rentável e atrativo. Inclusive se comparado ao resto do país, que tem mais de cinquenta estados e o distrito federal. Porém, há alguns meses, esse mesmo mercado tem sentido uma queda na procura por imóveis.

Isso resulta em uma tendência migratória interna, ou mudança de residência fiscal, em que as pessoas optam por sair de Nova Iorque e ir para Flórida. Isso porque no caso da Flórida não há imposto de renda estadual e municipal, apenas o federal, e está atraindo um número cada vez maior de compradores interessados em imóveis nesta região. “Além disso, pela metade do valor que em outras regiões dos EUA, é possível comprar uma residência muito melhor e com um clima mais agradável”, acrescenta Leo Ickowicz, Diretor da Elite International Realty, consultoria especializada em compra, venda e aluguel de imóveis sediada em Miami.

Como reflexo, o preço do metro quadrado de imóveis em Nova Iorque também está em queda e, por isso, há um aumento na procura por residências na região, principalmente pelo público mais abastado, incluindo latino americanos, que não pagam imposto em Miami e desejam sair da cidade.

Se há tantas variáveis para que um mercado esteja aquecido ou em queda, é preciso estar atualizado e aceitar as mudanças. Pensando assim, a Elite tornou-se pioneira em realizar permuta, que nada mais é do que uma troca entre imóveis de pessoas interessadas em mudar de residência.

A prática, no entanto, não é tão comum no país americano, mas desde o início de 2018, Leo afirma já ter realizado negócios dessa forma. A possibilidade de permuta foi uma saída encontrada para quem deseja voltar ao Brasil, ou simplesmente adquirir um imóvel em Miami, mas também está sendo feita entre proprietários com imóveis em Miami e Nova Iorque, visto que também é permitida a troca de imóveis entre dois estados americanos.

Diante desse cenário, Ickowicz acredita que há fortes chances de transações desse tipo acontecerem cada vez mais e de maneira natural. Especialmente porque, entre pessoas de poder aquisitivo maior, é até mais fácil e rápido, uma vez que os valores de ambos são altos e por isso, fica apenas a diferença entre uma quantia e outra. Leo afirma que há imóveis de US$ 2.300.000,00 até US$ 7.000.000,00 em Miami que permutariam facilmente com Nova Iorque.

No caso de permutas entre Miami e Brasil, em geral o proprietário do imóvel de Miami quer receber pelo menos 50% do valor de retorno e não trocaria por um imóvel de mesmo valor.

Já na permuta entre Miami e Nova Iorque, é diferente, pois são pessoas mais sofisticadas e vão negociar o valor, mesmo precisando pagar a diferença. Os dois exemplos citados refletem casos recentes.

Para Leo, “essa prática é interessante porque mostra a flexibilidade do mercado, que está disposto a se adaptar ao que o público pede e precisa”, finaliza. A Elite conta com equipes para realizar esse tipo de negociação tanto em Miami, quanto em Nova Iorque.