Pesquisa eleitoral aponta vitória de novato na política amazonense em cima de caciques

Manaus – A seis meses da disputa eleitoral no Amazonas, o clima já começa a esquentar entre os pré-candidatos ao pleito. A pesquisa 365 apontou em primeiro lugar, na disputa ao cargo de governador do Amazonas, o apresentador Wilson Lima. Ele é seguido pela ex-superintendente da Suframa, Rebeca Garcia. O atual governador Amazonino Mendes ocupou o terceiro lugar , seguido pelo presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) David Almeida.

Pela primeira vez concorrendo a um cargo majoritário, Wilson Lima surpreende e aparece com 33,9% das intenções de votos. Rebecca Garcia, por outro lado, aparece bem na disputa, e desponta com 33,2%. Uma diferença mínima de 7% se comparado ao primeiro lugar. Já Amazonino conquistou 26,9% dos votos, seguido de David Almeida com 22,8%.

O que chama a atenção entre os candidatos colocados na pesquisa é o alto índice de rejeição de dois caciques da política local. O ex-governador Omar Aziz, que teve o nome atrelado a pagamentos de propina na construção da Arena da Amazônia, caiu bastante no gosto popular e amargou 25,6% de rejeição. Ainda no quesito negativo, ele só perde para o seu pai político, o governador Amazonino Mendes, que ficou com 37,5% da rejeição. O número se deve às grandes mobilizações e greves de servidores estaduais, como professores, policiais, profissionais da saúde e agentes penitenciários, nos últimos meses de mandato. Praciano aprece em último lugar com 8,7%.

Para o Senado Federal, o cenário mostra a releição de dois atuais senadores do Amazonas. Eduardo Braga, que pode não vir como candidato ao governo do Amazonas, se optar pela releição, de acordo com a pesquisa, será reeleito com 37,8%. São apontados para ele mais de 730 mil votos em todo o Estado.

A senadora Vanessa Grazziotin também aparece na disputa com 27,9%, quase 540 mil votos. Os dois são seguidos pelos candidatos Alfredo Nascimento (23,6%), Pauderney Avelino (13,8%) e Bosco Saraiva (13,3%). Aparecem ainda Chico Preto, Plínio Valério, Luís Castro, Adriana Guimarães e o delegado federal Wesley.