Polícia Civil cumpre cinco mandados de prisão por latrocínio tentado, ocorrido em fevereiro deste ano

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), representada pelo delegado Adriano Felix, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), falou nesta quarta-feira (23/05), sobre os cumprimentos de mandados de prisão preventiva, de cinco pessoas por latrocínio tentado e associação criminosa.

Na ocasião foram apresentados Antônio Garcia, 39, conhecido como “Dentinho”; Francisramos Queiroz da Silva, 41; Júlio Cesar Alves Pinto, 37; Rodrigo Tomé de Souza, 28, chamado de “Barriga” e Thiago dos Santos Sena, 34. A ordem judicial em nome dos infratores foi expedida no dia 18 de maio deste ano, pelo juiz Henrique Veiga Lima, da 6ª Vara Criminal.

De acordo com o delegado, o bando foi preso na manhã de terça-feira (22/05), por volta das 14h em via pública, na rua Abraão Cardoso, bairro Compensa, zona oeste da cidade. “Já é uma associação criminosa especialista nesse tipo de chegadinha bancária, eles tinham informação privilegiada de que esse empresário realizava esses depósitos sempre no mesmo dia, e no mesmo banco. No momento em que a vítima chega, o infrator o abordou quando o empresário esboçou reação, quando tentou seguir para dentro do banco, e foi alvejado com disparo no pescoço, por uma arma de fogo calibre 38,” explicou Adriano Felix.

Conforme Felix, o latrocínio tentado aconteceu na tarde do dia 19 de fevereiro deste ano, por volta das 14h50. Na ocasião, a vítima, um homem de 53 anos, empresário do ramo de frigorífico teria ido até uma agência bancária localizada na primeira etapa do bairro Cidade Nova, zona norte da capital, para realizar um depósito de R$35 mil, provenientes do rendimento do frigorífico. A ação dos infratores por volta das 12h, quando Francisramos, foi até a agência bancária se passando por vendedor de “sacolé”, à espera do empresário, que faria o depósito naquela tarde, como era de costume. Na chegada do empresário, Francis rendeu a vítima, que não quis entregar o dinheiro.

Após a ação criminosa, Francisramos empreendeu fuga, juntamente com Thiago, que o aguardava em uma moto, da montadora Honda, modelo Titan, de cor verde, e placa JWX – 5078. Outra motocicleta e um carro também foram usados para dar cobertura aos infratores que realizaram o roubo.

Conforme o delegado, os indivíduos subtraíram da vítima R$ 35 mil. Os policiais civis da Derfd apreenderam a arma utilizada no dia do crime, e as duas motos. Na unidade policial, o proprietário do automóvel preso com um dos infratores, comprovou que no dia do crime tinha alugado o carro para um dos homens, tendo seu veículo liberado após os esclarecimentos.

O delegado disse, ainda, que Antônio já teve participação em um roubo ocorrido em 2015, onde na época rendeu advogados e subtraiu R$ 600 mil entre joias e dinheiros. “Ele é um dos líderes dessa associação criminosa, um indivíduo perigoso, e juntamente com Francisramos, que foi o atirador, são os que arquitetaram toda a ação. Com o trabalho investigativo realizado pela equipe da Derfd, nós conseguimos através das próprias filmagens do banco, identificar e prender esses indivíduos”, disse o titular.

A ordem judicial em nome de Antônio Garcia foi expedida no dia 14 de maio de 2015, pelo juiz Henrique Veiga Lima, da 9ª Vara Criminal.

Indiciamentos – Antônio, Francisramos, Júlio, Rodrigo e Thiago serão indiciados por latrocínio tentado e associação criminosa. Após os procedimentos cabíveis na especializada, eles serão levados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: ERLON RODRIGUES/PC-AM