Polícia Civil e MPE-AM firmam parceria para ampliar o acompanhamento psicológico na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), firmou na manhã desta quarta-feira (30/05), no prédio da especializada, parceria com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), para ganhar o reforço do Programa de Atenção às Pessoas em Situação de Vulnerabilidade Psicossocial – Recomeçar, mantido pelo órgão estadual, com o intuito de ampliar o atendimento psicossocial disponibilizado às vítimas de abusos na unidade policial.

Pela Depca, acompanharam o fechamento do acordo a delegada titular da unidade policial, delegada Joyce Coelho, a psicóloga Lena Mara Pereira Mendes e a assistente social Mary Jane Rodrigues. Representando o MPE-AM, estiveram presentes a promotora de Justiça Silvana Ramos Cavalcanti, coordenadora do Recomeçar, e a agente técnica jurídica Tatiana Almeida Freire de Souza.

De acordo com a autoridade policial, a partir dessa parceria, o MPE-AM irá disponibilizar acompanhamento psicológico para as vítimas de abusos sexuais e em situação de vulnerabilidade social que são atendidas na especializada. Os trabalhos serão realizados em conjunto com a delegacia, para auxiliar no serviço direcionado ao público infantojuvenil.

“Recebemos diariamente muitas denúncias de vítimas relatando crimes abusivos. A parceria irá auxiliar na agilidade da elucidação dos crimes e no acompanhamento das vítimas. Iremos encaminhar ofícios solicitando atendimento e, após o processo, a equipe do Programa Recomeçar irá enviar um relatório psicossocial de todos os casos atendidos”, explicou a titular da Depca.

Recomeçar – Um núcleo de Atendimento às Pessoas em Situação de Vulnerabilidade Psicossocial foi criado em 2016 para atuar no atendimento de pessoas em situação de vulnerabilidade psicossocial. O programa é composto por psicólogos, assistentes sociais e agentes técnicos de Direito, sob a coordenação da promotora de Justiça Silvana Ramos Cavalcanti.

FOTO: Divulgação / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas