Polícia Civil elucida homicídio de empresária e prende marido da vítima pela autoria do crime

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriu mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado em nome de Ivan Rodrigues das Chagas, 48, pela autoria da morte da própria esposa, a empresária Jerusa Helena Torres Nakamin. A vítima tinha 51 anos.

O delegado Jeff David Mac Donald, explicou que o crime ocorreu na madrugada do dia 12 de abril deste ano, por volta das 5h30, na casa onde o casal morava, situada no conjunto Campos Elíseos, bairro Planalto, zona centro-oeste de Manaus. Conforme o delegado, na ocasião do delito, Ivan alegou que a mulher havia cometido suicídio. Entretanto, o laudo emitido por profissionais do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), constatou que se tratava de um homicídio. Em razão disso, o caso passou a ser investigado pela equipe da DEHS.

“Após a ocorrência, Ivan compareceu na delegacia no dia 15 de abril deste ano para prestar depoimento. Na primeira versão do infrator, ele afirmou que, no dia do fato, tinha se ausentado para fazer exercícios físicos e quando retornou ao quarto havia encontrado a companheira morta. Ele alegou que Jerusa teria cometido suicídio, pois estava com depressão e fazia uso de remédios controlados. Em um segundo momento, já confrontado com resultado do laudo, ele acabou confessando a autoria do homicídio”, relatou o titular da DEHS.

Jeff David argumentou que ao longo das investigações Ivan compareceu novamente na delegacia e confessou que cometeu o crime porque o relacionamento entre o casal não era mais o mesmo após ele ter revelado à companheira que mantinha um relacionamento extraconjugal há aproximadamente dois anos. O homem também informou que desde setembro de 2017 mantinha uma segunda amante.

“Ele disse que Jerusa estava se produzindo muito e se cuidando muito, mas que não queria mais ter qualquer tipo de relacionamento afetivo com ele. Então, ele usou a própria empresa, de monitoramento eletrônico, para colocar gravadores dentro do carro dela e constatou que a mulher estaria envolvida com uma outra pessoa. Enfatizo que essa foi a versão dele. Não sabemos se procede”, informou o delegado.

Detalhes do crime – De acordo com a autoridade policial, no dia do delito, Ivan acordou e verificou que Jerusa já estava acordada. O infrator disse que a companheira tinha o hábito de sempre ter uma faca pra descascar frutas por perto. Após uma discussão calorosa com a mulher, motivada pelo possível relacionamento extraconjugal da vítima, ele desferiu golpes na esposa utilizando a arma branca.

“Ele afirmou que a empurrou com força e, após cair em uma poltrona, ele a imobilizou pelas costas e desferiu vários golpes de faca no pescoço da vítima, que veio a óbito em razão dos ferimentos. Questionamos se ele já tinha conhecimento do óbito e ele confirmou. Depois teria tomado banho e, em torno de uma hora depois, ele foi buscar socorro, mesmo sabendo que ela já estava morta”, comentou o titular da especializada.

Mandado de prisão preventiva – Conforme Mac Donald, após a constatação da autoria do homicídio, com base na confissão de Ivan e do laudo pericial, o delegado representou à Justiça o pedido de prisão preventiva em nome do infrator. O documento foi expedido no dia 14 de junho deste ano, pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

“Diante dos fatos, após a expedição do mandado, nossa equipe foi em campo na tarde desta quinta-feira (14/06), onde, por volta de meio-dia, conseguimos interceptá-lo. O infrator foi preso em um posto de combustíveis situado na avenida Autaz Mirim, bairro Jorge Teixeira, zona leste”, informou o delegado.

Indiciamento: Ivan será indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas