Postos de Manaus podem ficar sem combustíveis em 48h e caminhoneiros só liberam a saída para serviços essenciais

A paralisação dos caminhoneiros já surte efeito na cidade de Manaus. O estoque de combustíveis nos postos é suficiente apenas para mais 48h, ou seja, dois dias. A informação é presidente do Sindicato Estadual do Comércio Varejista de Combustíveis, Derivados de Petróleo, Álcoois, Lubrificantes, Gás Natural Veicular, Biocombustíveis e das Lojas de Conveniência do Estado do Amazonas (Sindicombustíveis-AM), Luiz Felipe Pinto.

Os caminhoneiros fecharam a via de acesso à refinaria Isaac Sabbá, no Distrito Industrial, na Zona Sul. Eles protestam contra os recentes aumentos do diesel do País.

Só essenciais

Na tarde desta quinta-feira (24), o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos do Amazonas, Antônio Sérgio Alexandre, informou que só está sendo liberado combustível para veículos de emergências, hospitais, segurança pública e alimentos perecíveis. Enquanto isso, os povos da capital estão lotados de motoristas preocupados com o desabastecimento.