Prefeitura cogita aumento nas passagens de ônibus, mas não garante qualidade no serviço

A vereadora da bancada petista na Câmara Municipal de Manaus (CMM), Rosi Matos (PT) apresentou opinião contrária nesta segunda-feira (12) sobre futuros aumentos da tarifa do transporte público em Manaus, embora diversas capitais brasileiras já tenham aderido ao aumento da tarifa de ônibus, em dezembro de 2014.

Rosi Matos alega que o serviço prestado não oferece condições favoráveis ao usuário para que a Superintendência Municipal de Transportes Coletivos Urbanos (SMTU) cogite qualquer reajuste na tarifa do transporte público. Ônibus quebrado, atraso do coletivo nos terminais, superlotação são alguns dos graves problemas existentes no sistema de transporte coletivo da cidade.

“Várias vezes fiz uso da tribuna para denunciar as condições precárias do transporte coletivo de Manaus. Ainda sim, não vejo nenhuma providência por parte da SMTU. Enquanto nada se resolve, a população é obrigada a pagar mais caro por um serviço de péssima qualidade. É muito desagradável o usuário ter que pagar R$ 2, 75 com a possibilidade de futuros reajustes que só beneficiarão as empresas do setor”, enfatizou Rosi Matos.

No início de 2014, a parlamentar encaminhou requerimentos à SMTU solicitando melhorias, inclusive a ampliação da frota de transporte público para alguns bairros, como o Residencial Viver Melhor 1, no entanto os requerimentos não foram atendidos.

“É notória a indiferença da SMTU às solicitações, principalmente aos parlamentares da oposição. Ao invés de aumentarem a tarifa, deveriam proporcionar o ordenamento do trânsito de veículos. A SMTU poderia resolver o problema da falta de ônibus em algumas localidades realizando estudos técnicos e alterando o percurso de linhas, por exemplo”, sugeriu Rosi Matos, que recebe constantemente pedidos para ampliação da frota de transporte público.