Prefeitura planeja tornar Manaus “cidade global” em 12 anos

Manaus é a capital com melhor gestão fiscal do país, com nota de 0,7651, numa escala de zero a um, isso de acordo com o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF). O resultado tem como base dados oficiais de 2016 declarados pelas prefeituras à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), e foi apresentado na última segunda-feira, 16, na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), pelo prefeito Arthur Neto.

Cerca de 4.500 municípios foram analisados em todo o país pelo IFGF, índice da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o resultado, 86% dos municípios apresentaram situação fiscal difícil ou crítica, e apenas 14% estão em situação boa ou excelente. A capital amazonense conseguiu nota máxima no indicador Receita Própria e nota A (resultados superiores a 0,8 ponto), no quesito Investimentos, por ter investido mais de 20% de seu orçamento.

“Manaus chegou a uma maturidade institucional que faz dela uma cidade ajustada do ponto de vista fiscal, possui a contabilidade pública mais organizada, a previdência pública mais acreditada do Brasil e que paga suas contas”, frisou Neto.

No evento da prefeitura de Manaus, com participação da diretoria da FIEAM, o prefeito lançou o livro “Planejamento Estratégico Manaus 2030”, onde estão as ações estratégicas da administração municipal para tornar Manaus uma cidade global nos próximos 12 anos, a partir dos trabalhos desenvolvidos sob a coordenação das Secretarias Municipais de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) e de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef).

“Manaus não teve ocasião de crescer como deveria. Cresceu como alguém que não teve quem cuidasse dela, e a gente trata exatamente disso, cuidar da cidade, que tem potenciais enormes no campo turístico, da biodiversidade e do nosso poderoso, embora em crise, parque industrial da Zona Franca de Manaus”, disse o prefeito ressaltando que a crise “brutal” na ZFM derruba empregos em todos os serviços e setores.

“A FIEAM e o CIEAM há dois meses lançaram a Agenda Legislativa da Indústria do Estado do Amazonas, que na ocasião foi entregue ao presidente da Câmara Federal e a alguns parlamentares que aqui se fizeram presentes, e hoje é uma satisfação muito grande para a casa da Indústria sediar um encontro como esse, onde o prefeito lança o planejamento estratégico”, disse presidente da FIEAM, Antonio Silva.

O trabalho para construir o planejamento estratégico para 2030 foi realizado em exatamente 2 mil dias de estudos, pesquisas e workshops para montar um diagnóstico da administração e definir as ações prioritárias para que haja o crescimento da cidade dentro do orçamento disponível orientado pelo Planos Plurianuais (PPAs) e Leis Orçamentárias Anuais (LOAs).

“A grande preocupação do trabalho foi ouvir não só o público interno da prefeitura, mas também toda a sociedade e isso foi um processo longo que teve o auxílio da Consultoria do Instituto Aquila e durou mais de 8 meses” ,relatou o secretario da Semad, Lucas Bandiera que contabilizou o envolvimento de mais 7 mil pessoas entre prefeitura, secretarias, sociedade e membros das indústrias.