Produção industrial cai -4,1% em maio

Com a redução de -4,1% na produção industrial local, o Amazonas acompanhou outros 13 locais pesquisados que mostraram taxas negativas de abril para maio de 2018, na série com ajuste sazonal. Esse perfil generalizado de queda reflete os efeitos da paralisação dos caminhoneiros. O Amazonas sofreu a décima segunda maior queda entre os estados, declinio que foi liderado pelo Mato Grosso com -24,1%. Nessa comparação, a média móvel trimestral ficou em -2,3% já que no mês anterior também houve queda de -4%.

Na comparação com igual mês de 2017, a indústria amazonense mostrou aumento de 4,5% em maio de 2018, com 7 das 10 atividades pesquisadas apontando taxas positivas nessa comparação. Bebidas (-5,0), Borracha e plástico (-15,5%) e máquinas e aparelhos elétricos (-13,4%) foram as três atividades da indústria local que apresentaram queda na produção no mês. Entre as atividades do PIM que tiveram melhor desempenho no mês, destaque para: outros equipamentos de transporte (motocicletas peças e acessórios) com 29,0%, extrativos (coque e derivados de petróleo) com 13,5% e máquinas e equipamentos com 7,5%. Nessa comparação, o Estado ainda acumula um crescimento de 17,9% em 2018, e nos últimos doze meses esse crescimento alcança 10,4%. Vale ressaltar que, no resultado desse mês, verifica-se a influência tanto dos efeitos da paralisação dos caminhoneiros, como do efeito-calendário, já que maio de 2018 (21 dias) teve um dia útil a menos do que maio de 2017 (22).