Profissionais de saúde apresentam trabalhos sobre Aleitamento Materno e Alimentação Saudável

A cerimônia oficial de abertura do XIII Encontro Nacional de Aleitamento Materno e do III Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável (Enam/Enacs) aconteceu nesta quarta-feira, 26, no Studio 5 Centro de Convenções, com a participação de mais de duas mil pessoas de todo o Brasil para a discussão do tema “Qualidade de vida: amamentação e alimentação complementar em redes – uma visão a partir da Amazônia”.

Os dois encontros terão continuidade até sexta-feira, 28, com uma série de mesas-redondas, oficinas, exposições e apresentação dos 36 trabalhos científicos aprovados na categoria de Comunicação Coordenada e dos 313 trabalhos aprovados na categoria Pôster.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, destacou a importância dos encontros como forma de valorizar o trabalho dos profissionais de saúde para o fortalecimento das ações de promoção ao aleitamento materno e à alimentação complementar saudável.

“O trabalho executado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na área do aleitamento materno é de vanguarda e pode servir de exemplo para os outros municípios. Eventos como o Enam/Enacs são uma forma de compartilharmos as experiências bem sucedias nas unidades de saúde. Os profissionais estão de parabéns por encontrarem tempo, dentro de suas rotinas diárias, para a produção de trabalhos científicos que podem  ser divulgados para todo o Brasil”, destacou Homero de Miranda Leão.

Durante a abertura dos dois encontros, foi realizada uma conferência sobre o tema “A política nacional de atenção integral à saúde da criança e o aleitamento materno”, tendo como conferencista o coordenador geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Paulo Bonilha, que lembrou os avanços no Aleitamento Materno no Brasil nas últimas décadas.

“Na década de 1970, o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida era quase uma prática extinta no país, com um índice de apenas 3,5%. Um esforço conjunto do poder público, das secretarias de saúde e de entidades da sociedade civil organizada vem conseguindo aumentar o índice de forma significativa, e, hoje, já atinge 41%. Apesar de ainda estar longe do ideal de 90%, existe uma mobilização contínua para apoiar e garantir o direito das mães e crianças ao aleitamento materno”, informa Paulo Bonilha.

No município de Manaus, o índice de aleitamento materno exclusivo na faixa etária de zero até seis meses é de 53,14% de crianças, índice acima da média nacional de 41%.

O estado do Amazonas teve 53 trabalhos científicos aprovados para o evento, sendo que oito trabalhos aprovados são de autoria de profissionais da Semsa. Os trabalhos da Semsa foram selecionados de acordo com os eixos: Alimentação complementar da criança; Amamentação; Mulher, criança e família – aspectos do cuidado alimentar e nutricional da gestação à criança pequena; e Segurança alimentar e nutricional na criança.

Reportagem: Eurivânia Galúcio

Fotos:Rodemarques Abreu