Programa Petrobras Jovem Aprendiz capacita mais de 8 mil jovens em nove anos

A Petrobras incentiva a inserção de jovens, em situação de vulnerabilidade social e econômica, no mercado de trabalho, promovendo qualificação pessoal e profissional. Por meio do seu Programa Petrobras Jovem Aprendiz (PPJA), que completa nove anos, com base na lei 10.097/00, oferece oportunidade de um futuro melhor para jovens, entre 15 a 21 anos, que frequentam o ensino regular e residam no entorno das unidades da companhia.

O programa já qualificou mais de 5 mil jovens, que atuam nas áreas administrativas, operacionais, e em laboratórios de pesquisa. Outros 3 mil alunos frequentam cursos em todo o país. No total, serão mais de 8 mil jovens capacitados nos 9 anos do programa.

O PPJA é dividido em três fases. A primeira é a Formação Básica, feita nas Instituições Sociais conveniadas com a Petrobras, onde os participantes recebem aulas de cidadania, responsabilidade social, mundo do trabalho e prevenção contra drogas, entre outras. Em seguida, vem a Qualificação Técnica-Profissional, realizada nas dependências do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Por último, a Vivência Profissional, com atividades práticas acompanhadas por profissionais da companhia.

A aprendiz Thaís Villarino, de 21 anos, viveu uma nova experiência profissional como assistente administrativa na sede da Petrobras no Rio de Janeiro. A jovem viu no programa a possibilidade de se qualificar em uma profissão. No dia 14 de janeiro, junto com outros 158 jovens do Comitê Centro-RJ, Thaís irá se formar, em cerimônia no Teatro Rival.

“Comecei a trabalhar aos 14 anos para ajudar minha mãe e meus três irmãos, mas esta oportunidade tem sido enriquecedora para mim. Gostei muito pela vivência que tive na empresa, que acreditou no meu potencial e em nenhum momento deixou que eu desistisse, apesar de todas as dificuldades pelas quais estava passando”, diz Thaís.

Os aprendizes ficam durante dois anos no PPJA, com carga horária de quatro horas por dia, de segunda a sexta-feira, e recebem um saláriomínimo nacional e auxílio para refeição e transporte.

Thaís ressalta que o maior mérito da experiência é o conhecimento adquirido. “Hoje eu vejo que posso ir muito mais além do que eu acreditava, sei que sirvo de exemplo para meus irmãos, e é isso que tem me dado força”, conclui.

Preparação para a vida

História similar é a do aprendiz Davi Martins, de 20 anos, que faz o curso técnico em Elétrica de Manutenção Industrial no Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) no Rio de Janeiro. Morador da Nova Holanda, uma das 16 favelas do Complexo da Maré, no Rio, Davi afirma que muitas vezes a única coisa que falta para o jovem é um incentivo.

“A gente sai do Ensino Médio um pouco perdido, sem saber como é o mercado de trabalho, e na Petrobras eu tive essa experiência única. Principalmente para a gente, que vem de comunidade, o que falta, muitas vezes, são oportunidades para se desenvolver em uma profissão. As pessoas vendo que alguém de lá saiu e conseguiu, elas se animam para tentar também”, conta.

Exemplo de que a capacitação é o segredo para novas conquistas é a história de Ernandes Moises de Souza, hoje técnico de manutenção concursado da unidade de operações no Espírito Santo da Petrobras, ex-jovem aprendiz da própria companhia.

Ernandes participou da primeira edição do programa, em 2006, quando tinha 16 anos. Continuou sua formação, com cursos técnicos e de línguas, e dois anos depois fez o processo seletivo da Petrobras. Foi aprovado e convocado para trabalhar em sua cidade, São Mateus (ES). “Durante o programa, aprendemos a confiar mais em nós mesmos. O importante é seguir seus sonhos; a Petrobras nos dá uma base cidadã, com questões éticas, a oportunidade de ter uma profissão, e eu me orgulho muito de ter participado”, ressalta.

Como participar do programa

Para participar do processo seletivo do PPJA, o jovem precisa atender aos seguintes requisitos:
– Estar em situação de vulnerabilidade social (a partir da renda familiar e do Cadastro Único do Governo Federal);
– Ter entre 15 e 21 anos e 11 meses (para vagas das áreas administrativas);
– Ter entre 17 anos e 9 meses e 21 anos e 11 meses (para vagas nas refinarias e em laboratórios de pesquisa);
– Frequentar o sistema de ensino regular;
– Residir no entorno de alguma unidade da Petrobras.
Cada comitê local realiza seu processo seletivo em uma data determinada, que depende do término da edição anterior do Programa. Somente após dois anos do início de cada edição é que as instituições e os comitês locais da Petrobras iniciam a seleção dos jovens, com novas inscrições.
As normas e procedimentos de recrutamento e seleção são de responsabilidade dos comitês locais. Distribuídos em 29 regiões do PPJA pelo país, eles têm autonomia para executarem seus processos seletivos.
Saiba mais em: http://www.petrobras.com.br/pt/quem-somos/carreiras/oportunidades-de-qualificacao/jovem-aprendiz/

Comitês locais

O programa conta hoje com 31 comitês locais: Alagoas, Bacia de Campos/Macaé. Bahia, Brasilia, Canoas/REFAP, Caraguatatuba – SP, Ceará – LUBNOR, Cenpes – Rio, Centro – Rio, Cubatão – SP, Espírito Santo, Itajaí – SC, Manaus – UO, Maracanã – Rio, Pará, RECAP – Mauá, Recife, REDUC – Rio, REGAP/Betim – MG, REMAN – AM, REPLAN – Paulínia – SP, REVAP – São José dos Campos, Rio Grande do Norte, Rio Grande/Polo Naval, Santos – SP, São Paulo –SP, Sergipe, SIX – RS, UTE/Seropédica, UTE/Juiz de Fora