Projeto “Cama e Café” impulsiona economia em Parintins

O Governo do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), reativou o projeto “Cama e Café” no município de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus). Modelo de hospedagem alternativa que visa melhorar a oferta de leitos na cidade, o projeto ganhou novo impulso, em 2018.

Cem casas foram visitadas, ainda no mês de março, pela equipe da Amazonastur. Desse total, 60 residências foram selecionadas para receber reformas, aquisição de equipamentos e mobílias, de acordo com gerente de Registro e Fiscalização da Amazonastur, Luciana Batista. Ela explica que, no momento, 13 estão recebendo as benfeitorias, mas que o projeto vai continuar até atender aos demais beneficiados. “O projeto veio para dar esse suporte, movimentar a economia. Nós temos casas muito bonitas, acolhedoras. As pessoas não tinham alternativa econômica, o projeto ‘Cama e Café’ vem agregar muito para as famílias parintinenses. Esse trabalho de orientação veio somente somar e aumentar a renda dessas famílias, que, por natureza, já são hospitaleiras”, comenta Luciana Batista.

Esse tipo de hospedagem surgiu na Europa e nos Estados Unidos (Bed and Breakfast), sendo muito utilizado hoje nas grandes capitais do Brasil, como Rio de Janeiro e São Paulo. Em Parintins, o projeto “Cama e Café” foi criado, em 1997, no Governo de Amazonino Mendes. Trata-se de uma hospedagem em residência com, no máximo, três unidades habitacionais para uso turístico, com serviços de café da manhã e limpeza oferecidos pelos anfitriões.

Empreendedorismo – Umas das primeiras participantes do projeto “Cama e Café” em Parintins, a microempresária Socorro Lopes destaca a importância do projeto para impulsionar o turismo na terra dos bumbás Caprichoso e Garantido. Dona da Pousada Tupana, Socorro festeja a retomada do projeto pelo Governo do Estado. “O Festival estava crescendo e precisava de meios de hospedagem. Foi, então, que o governador Amazonino Mendes criou o projeto. No início, estava tudo legal, todo mundo feliz, porque ele significava geração de renda na cidade. Depois da saída do governador ficamos sem apoio, parados. Agora, ele retomar esse projeto é um sonho que está se consolidando. Muitas pousadas irão nascer”, prevê a microempresária.

Socorro Lopes conta que começou com apenas dois quartos, mas que logo foi preciso buscar um refinanciamento para ampliar o número de apartamentos, devido a grande procura por hospedagem na cidade, principalmente no período do Festival Folclórico de Parintins.

Foi também o que aconteceu com a dona da Pousada Estrela Dalva, a microempresária Dalva Maria Ribeiro. “Parintins começava a crescer em termos de Festival e não existia hospedagem. Eu tinha uma casa muito humilde e já alugava para um grupo de pessoas, que deixavam pago de um ano para outro, porque Parintins não tinha hospedagem. Preocupado com isso, o então governador Amazonino Mendes criou o ‘Cama e Café’, um projeto simples que começou a resolver esse problema de hospedagem na cidade”, lembra Dalva Ribeiro.

“O Cama & Café é um divisor de águas na minha vida. Faço com muito gosto, boa vontade. Podem vir a qualquer hora, qualquer dia, independente do festival, essa pousada vai estar arrumada e limpa. Faço isso todo tempo. Os hóspedes do Festival não são especiais, todos são especiais”, destaca.

Parceria – Nessa nova etapa, o projeto conta com a ação integrada da Amazonastur, Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), além da parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas (Sebrae-AM).

FOTO: BRUNO ZANARDO/SECOM