Projeto vai oportunizar qualificação profissional a venezuelanos

Lançamento ocorreu nesta terça-feira, na Aleam, com a participação de diversos atores do segmento empresarial

Com foco na geração de trabalho e renda para os venezuelanos que vivem em Manaus, o projeto Oportunizar foi lançado na tarde desta terça-feira (21), no auditório Senador João Bosco Ramos de Lima, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). A ação é resultado de parceria entre o Centec (Centro de Ensino Técnico) e o ACNUR (Agência da ONU para Refugiados).

Além dos idealizadores do projeto, o evento contou com a presença dos representantes das seguintes entidades: CIEE(Centro de Integração Empresa Escola), Consulado da Mulher, Federação da Agricultura e da Pecuária (Faea), Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Fundo Manaus Solidária, INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), Jesuítas, Unicef, FAS (Fundação Amazônia Sustentável), Zelar, Adra Brasil, D&k Espaço de Beleza, Espaço Amanda, Panificadora Eliza, Cantina Ghiotto, Agência Urbana, Academia Live, Ótica Vip, Jampro e Acram Turismo.

Na ocasião, foi lançada também uma campanha de sensibilização da classe empresarial sobre a contratação desta população. Além disso, o Centec apresentou o selo ‘Oportunizar’, que reconhecerá as boas práticas e compromisso de empresas locais com a inclusão de solicitantes de refúgio.

O presidente da Fieam, Nelson Azevedo, parabenizou a ação do Centec em parceria com o Acnur e ressaltou na ocasião que o Oportunizar terá o apoio da Federação. Nelson disse ainda que as empresas precisam viabilizar a empregabilidade, amenizando as burocracias no processo seletivo dos venezuelanos.

“Existem vários venezuelanos capacitados e formados precisando dessa oportunidade. Precisamos ser menos burocráticos e mais práticos para ajudarmos nossos irmãos. A Fieam estará junto nessa parceria para fortalecer a rede de empregabilidade”, disse.

Já o empresário Fábio Cunha, dono do restaurante Cantina Ghiotto, disse que é preciso mais sensibilidade com os venezuelanos que deixaram uma vida para trás em busca de dignidade, oportunidade e esperança de dias melhores. Fábio também firmou compromisso em colocar sua empresa a disposição da rede de empregabilidade do Oportunizar.

“Temos de tratar nossos irmãos venezuelanos como pessoas, como seres humanos e não com discriminação. Eu coloco meu empreendimento à disposição do Oportunizar para contratar os venezuelanos com carteira assinada e sem qualquer burocracia. Já tive experiências trabalhistas com outros venezuelanos e posso afirmar que foram muito boas, são pessoas capacitadas, esforçadas e empenhadas em sempre aprender”, afirmou Fábio Cunha.

O jovem venezuelano Omar Navarro, 23, comenta que está no Brasil em busca de recomeço e acredita que o Oportunizar lhe proporcionará essa chance. Ele, que fazia faculdade de contabilidade em seu país, aqui sonha em aprender a falar bem o português e trabalhar como auxiliar de cozinha.

“Meu maior desejo é falar português como um nativo, pois gosto muito dessa língua, e depois me inserir no mercado na área de cozinha, pois desejo aprender os sabores do Brasil e também trazer um pouquinho do sabor da Venezuela para cá”.

O projeto ‘Oportunizar’ é um trabalho socioeducativo para melhorar a fluência dos participantes na língua portuguesa por meio de cursos profissionalizantes, criando assim competências para quem busca uma oportunidade de trabalho nos setores da indústria, comércio e serviço, ou mesmo como empreendedores.

Qualificação

O projeto oferecerá quatro cursos de qualificação profissional aos venezuelanos solicitantes de refúgio: ‘Auxiliar de Cozinha e Confeitaria’, ‘Manicure, Pedicure e Designer de Sobrancelha’; ‘Auxiliar Administrativo’ e ‘Instalador de Refrigeração e Climatização Doméstica’. As aulas acontecerão de segunda a sexta-feira, a partir do próximo dia 27, sendo de 14h às 17h15 para os dois primeiros cursos e 18h15 às 21h30 para os dois últimos.

Ao todo, o ‘Oportunizar’ oferecerá 120 vagas, sendo 30 para cada um dos cursos. Todos com carga horária ampliada no componente Língua Portuguesa Instrumental, visando aprimorar o domínio do idioma e facilitar a inserção dos venezuelanos no mercado de trabalho.

As inscrições já estão sendo feitas na Caritas Arquidiocesana de Manaus, na avenida Joaquim Nabuco, 1023 – Centro, das 8h às 11h. Algumas vagas serão reservadas para refugiados e solicitantes de refúgio de outras nacionalidades.