PSL oficializa Bolsonaro como candidato à Presidente

O Partido Social Liberal (PSL) anunciou neste domingo o nome do deputado federal Jair Bolsonaro como candidato à Presidência da República para a eleição deste ano. O anúncio da candidatura foi feito após Bolsonaro ser escolhido por aclamação dos correligionários durante o encontro nacional da legenda no Rio de Janeiro. O PSL ainda não definiu quem será o vice na chapa encabeçada por Bolsonaro. Segundo comunicado durante a convenção, o partido irá definir o nome até 5 de agosto.

Bolsonaro chegou ao evento acompanhado pelo senador Magno Malta, do PR, e pelo general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, do Exército. Ambos foram cotados para vice na chapa de Bolsonaro, mas não chegaram a um acordo. Logo no início de seu discurso, Bolsonaro citou as dificuldades que irá enfrentar ao longo de sua campanha.

“Não temos um grande partido, não temos fundo eleitoral, não temos tempo de televisão. Mas temos o que os outros não têm, que são vocês”.

Entre algumas das propostas apresentadas por Bolsonaro, estão a busca pelo liberalismo na economia e a privatização da maioria das estatais, colocar um general no Ministério da Defesa, tirar o Brasil do acordo de Paris – em que o país se compromete a reduzir a emissão de gases que colaboram com o efeito estufa – e dar retaguarda jurídica para militares e agentes da segurança pública.

Durante o evento, Bolsonaro atacou o pré-candidato à Presidência Geraldo Alckmin, do PSDB. O candidato do PSL fez referência à aliança de Alckmin com o “centrão” do Congresso, anunciada na última semana. O candidato classificou o grupo como “a escória da política brasileira”. Bolsonaro também agiu com ironia ao citar os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff como parâmetro para avaliar se está preparado ou não para assumir o Planalto.

“Coloque na mesma sala eu, Dilma e Lula. Aplique-nos a prova do ENEM. Se eu não tiver uma nota maior do que os dois juntos, não estou preparado”.

Jair Bolsonaro tem 63 anos e é natural de Campinas. Capitão do Exército, atualmente na reserva, o pré-candidato cumpre o sétimo mandato consecutivo como deputado federal.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes