Rebecca Garcia: Moto Honda da Amazônia volta a contratar

A candidata a vice-governadora pela coligação “Eu voto no Amazonas”, Rebecca Garcia (PP), foi informada, nesta terça-feira (11), que a maior empregadora do Polo de Duas Rodas do Amazonas, a Moto Honda da Amazônia, iniciou a retomada de sua produção e efetivou contratos dos funcionários temporários chamados nos últimos 12 meses. Rebecca almoçou na fábrica da Honda, e comemorou a informação: “o crescimento é reflexo do trabalho feito pelo governador Amazonino Mendes, nos últimos 11 meses, que vem recuperando a economia no Amazonas”, disse.

A candidata lembrou estudo divulgado pelo Itaú Unibanco, em que o Amazonas aparece como o Estado cuja economia mais cresceu até junho de 2018 na região Norte, sendo o segundo melhor desempenho entre os Estados brasileiros. O crescimento foi de 6,4% no Produto Interno Bruto (PIB), no segundo trimestre deste ano, após também ter apresentado alta no primeiro trimestre, de 6,1%. As indústrias do Amazonas alcançaram o crescimento de 12%, 11% a mais do que no restante do país, que somou crescimento de apenas 1%.

Rebecca Garcia aproveitou a visita para levantar também as necessidades de qualificação do PIM e divulgar o projeto da Escola Técnica, que será criada pelo governador Amazonino Mendes. “Nós estamos tendo a oportunidade de trocar uma ideia com as pessoas para saber que mão de obra seria importante o Governo estar qualificando para atender a demanda de empregos do Polo de Duas Rodas. Dessa maneira, a Escola Técnica, tão sonhada por nós, que existirá no próximo governo, terá um curso específico para aquilo que o Distrito hoje está querendo empregar. Isso hoje é emprego garantido, não precisa esperar passar no vestibular, porque você já sai da escola com emprego no Polo Industrial”, destacou.

Para a candidata Rebecca Garcia, economista por formação, o resultado é mais uma prova de que a economia no Amazonas já está sendo retomada. “É uma felicidade poder enxergar que os resultados que já foram divulgados em números de crescimento do Amazonas se transferem hoje em realidade e número de empregos gerados. Os temporários que estão entrando agora tem a possibilidade de serem também contratados no final desse período, daqui a 3 meses. Dessa forma, você percebe que a retomada da economia é real para a empresa e trabalhador”, afirmou.