Renan Calheiros e Eduardo Cunha prestigiaram ato da Bancada Feminina

Cerca de 400 pessoas lotaram o auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na tarde desta quinta-feira (26/03) para o lançamento da campanha nacional “Mais Mulheres na Política”, organizada pela Bancada Feminina no Congresso Nacional.
A parlamentares ganharam apoio do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), assim como de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, em favor da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional PEC nº 23/2015, que garante 30% das vagas dos legislativos para as mulheres nas próximas eleições, e da PEC nº 24/2015, que indica a presença de uma mulher quando da renovação de dois terços do Senado.

O presidente do Senado afirmou: “Vamos fazer o que for preciso, contem conosco, para apoiarmos o aumento do número de cadeiras destinadas às mulheres no Parlamento brasileiro durante a discussão da reforma política porque isso significa reforçar a democracia no nosso país”.
Já o presidente da Câmara dos Deputados avaliou ser possível concluir a discussão para que as mudanças possam valer a eleição de 2016. “Faremos o possível até 30 de setembro deste ano para que as propostas sejam consideradas. Nosso apoio é real em favor da causa das mulheres como condição fundamental para a boa condução da política nacional, cada vez com mais força, contundência e representatividade pela ampliação da presença da mulher em todos os níveis do Parlamento brasileiro.”
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), procuradora da Mulher no Senado, esclareceu o porquê de a atual lei da cota de 30% em candidaturas não se mostrar eficaz para alcançar a igualdade de participação entre homens e mulheres: “O sistema eleitoral brasileiro diz apenas que os partidos devem reservar as vagas, mas a punição tem sido extremamente branda para as siglas que não cumprem a cota, ou burlam a previsão legal, apresentando candidaturas só de fachada.”

Durante o evento senadoras e deputadas convidaram o público a ler o manifesto intitulado “Por uma reforma que garanta mais mulheres no Parlamento”, em anexo, resultado de reuniões realizadas desde o início da atual legislatura para trabalhar na reforma política uma pauta comum às mulheres de todos os partidos.

Para a coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados, Dâmina Pereira, não se trata de uma luta por privilégios: “Nossa pauta é por igualdade. E muitas vezes, para que tenhamos igualdade, precisamos de leis que a determinem. Somos tão poucas no Congresso que praticamente só votamos projetos de interesse das mulheres no mês de maio, como se precisássemos de um mês para sermos lembradas”.

Mudanças na destinação do Fundo Partidário também interessam às senadoras e deputadas. Elas reivindicam que os partidos estabeleçam ao menos 30% dos recursos para o financiamento de suas campanhas, quando hoje esse valor corresponde a apenas 5%.

A atriz Maitê Proença lembrou que é hora de fazer mudanças essenciais na civilização com o olhar feminino: “Para mudanças reais, é preciso a energia feminina na gerência do mundo. Precisamos um número crítico de mulheres na condição de poder e de comando”, afirmou.

O evento foi organizado pela Procuradoria da Mulher no Senado, pela Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados e do gabinete da senadora Marta Suplicy (PT-SP), com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Estavam presentes e fizeram uso da palavra Paulo Skaf, presidente da FIESP; as senadoras Sandra Braga (PMDB-AM), Simone Tebet (PMDB-MS); as deputadas Elcione Barbalho (PMDB-PA), Clarisse Garotinho (PR-RJ), Dâmina Pereira (PMN-MG), Gorete Pereira (PR-CE), Keiko Ota (PSB-SP); Eunice Cabral, presidente do Sindicato das Costureiras de São Paulo; Fernanda Marinela de Sousa, da Comissão da Mulher Advogada da OAB, além de dezenas de presidentes regionais de partidos políticos e representantes de entidades da sociedade civil.

“Mais Mulheres na Política” é uma campanha a ser veiculada em nível nacional e contará com spot para rádio, jingle e cartazes.

Compartilhe