Saúde estuda novo esquema de tratamento

O Ministério da Saúde estuda mudar o esquema de tratamento da Hanseníase para o esquema de Multidrogaterapia Única – MDT-U. A proposta está sendo avaliada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS, a Conitec. E, uma vez aprovada, trará aos pacientes a opção de um tratamento único tanto para quem tem poucas bactérias no corpo – os paucibacilares, quanto para quem tem muitas – os multibacilares. O novo esquema também visa reduzir em seis meses o tempo de tratamento que hoje varia entre um ano e um ano e meio. A expectativa é que esse esquema traga mais qualidade de vida aos pacientes, como explica a coordenadora-geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha.

“Para o paciente que tá tomando a medicação reduzir de um ano – 12 meses – para seis meses isso traz um benefício enorme para ele. Isso faz uma maior adesão ao paciente ao tratamento em relação a não ter falta, a não abandonar o tratamento – que é diferente um ano para seis meses. Favorece também ao paciente menor risco de efeitos adversos Por que reduz o tempo de tratamento”.

A hanseníase pode atingir qualquer pessoa em qualquer idade. Por isso, devemos estar atentos aos sinais. O principal deles é a presença de manchas na pele com alteração de sensibilidade. Vale lembrar que, em breve, o tratamento será oferecido gratuitamente pelo SUS Para saber mais, acesse saude.gov.br.

Reportagem, Janary Damacena