Secretaria de Saúde capacita interior a operar sistemas do Bolsa Família para área da saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) reúne em Manaus, nos dias 21 e 22, 200 profissionais de todo o Estado responsáveis pela inserção, no programa Bolsa Família, de informações relacionadas à saúde, assistência e educação dos beneficiários, no Amazonas. Eles participarão de uma oficina de capacitação, para utilizar o novo sistema criado pelo Governo Federal para inserção dos dados. O evento é coordenado pela Susam, em parceria com as secretarias estaduais de Assistência Social (Seas) e de Educação (Seduc).

O governo federal estabelece algumas condições para que as famílias inseridas no Bolsa Família permaneçam no programa. Na área de saúde, por exemplo, elas devem procurar os serviços de assistência básica a cada seis meses, para serem submetidas a avaliações do crescimento e desenvolvimento de suas crianças, assim como a atualização da caderneta de vacinação. E, também, para realizarem o adequado acompanhamento médico do pré-natal.

A coordenadora estadual de Alimentação e Nutrição do Departamento de Atenção Básica da Susam (Dabe-Susam), a nutricionista Joselina Alves de Castro, afirma que além de ser condição para a permanência no programa, a ida frequente dessas famílias em situação de vulnerabilidade ao serviço de saúde favorece a ação dos órgãos públicos no combate e prevenção às doenças. Segundo dados do governo federal, há no Amazonas, atualmente, 354,8 mil famílias cadastradas no programa.

O preenchimento correto no sistema de informações, explica Joselina, é importante, porque permitirá a geração de relatórios e identificar indicadores capazes de nortear as políticas na área de atenção básica em saúde, em cada município. “Por meio dessa ferramenta, podemos acompanhar se, no grupo de famílias incluídas no programa, por exemplo, as crianças estão sendo vacinadas. Se identificar que a cobertura está baixa, as equipes locais podem procurar saber o que está acontecendo e agir”, explica Joselina. A alimentação do sistema com as informações dos beneficiários também é importante, porque garante aos municípios acesso a recursos.

A meta anual estabelecida pelo governo federal é que pelo menos 74% dos beneficiários do Bolsa Família estejam sendo acompanhadas pelos serviços de atenção básica no País. Em 2017, o Amazonas despontou como o Estado de maior cobertura, com 88% das famílias alcançadas. Este ano, a cobertura já está em 87,33%. Municípios como Urucurituba, Boa Vista do Ramos e Nhamundá estão com 100% de cobertura.

A “Oficina de Capacitação nos Sistemas do Programa Bolsa Família na Saúde, Assistência e Educação” será realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), na avenida Joaquim Nabuco, no Centro de Manaus.

Em fase de testes, o novo sistema começou a ser operado no dia 13. Segundo o governo federal, a mudança foi necessária para melhorar a manutenção do programa, que teve sua base transferida do Rio de Janeiro para Brasília. E também porque o software atual já está ultrapassado.

FOTO: DIVULGAÇÃO/SUSAM