Seis milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe

Mais de seis milhões de pessoas que precisam tomar a vacina contra a gripe, deixaram de se proteger contra a doença este ano. A campanha de vacinação contra a gripe acabou e não conseguiu alcançar a meta de pelo menos 90% da população alvo. E um dado preocupante é o de que gestantes e crianças foram os que menos compareceram às salas de vacinação, com cobertura de 76% e 73%, respectivamente. Apesar disso, a vacina continua sendo ofertada nos postos de saúde, mas é importante ressaltar que quanto mais rápido a pessoa for vacinada, mais rápido ficará protegida da doença, uma vez que existe um tempo entre receber a vacina e ficar livre da gripe, como explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

“Quando eu recebo a vacina, eu demoro em torno de dois a três dias, e é nesse momento em que eu posso ter a febre, a dor local, um pouco de mal estar, que é quando o organismo está iniciando a produção de anticorpos. E por isso que dá essas reações. Mas mesmo assim, não é a partir do terceiro dia que eu estou protegido, porque o organismo ainda vai demorar mais alguns dias para completar a proteção e criar os anticorpos necessários para a proteção contra a doença. E esse período vai variar entre 10 a 15 dias”.

Fique atento, pois agora no inverno aumentam os casos de transmissão da gripe, que ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, de uma pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, podendo ocorrer também, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Na forma grave, a gripe causa falta de ar, febre por mais de três dias, dor muscular intensa e prostração.

Reportagem, Janary Damacena.