Servidores do sistema prisional participam de curso de escolta armada

Instrutores do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) estão em Manaus para promover o curso de escolta armada em nível básico para servidores da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) do Amazonas. Com início na última quarta-feira (27/06), o curso teve conclusão nesta sexta-feira (29/06), após aulas teóricas, práticas e com realização de prova com o conteúdo aplicado nos três dias de capacitação.

A aula inaugural teve como base as noções teóricas do curso e foi ministrada no auditório da Seap. As aulas práticas foram passadas nos dois dias seguintes, sendo aplicadas nas estruturas do Centro de Detenção Provisória de Manaus II (CDPM II), localizado no km 8 da BR-174.

De acordo com o agente federal da execução penal e supervisor do Depen, Fábio Dias, o curso tem três fases, e que futuramente os servidores certificados no nível básico poderão participar dos níveis intermediário e avançado. “O que está sendo aplicado no momento são noções para algemamento, condução de presos dentro de uma penitenciária e idas externas a fóruns, como passar por populares durante as escoltas com presos e transposição das algemas dos presos nas apresentações do fórum para assinatura de documentos”.

Fábio Dias ressaltou ainda que o curso e outras capacitações são disponibilizados para todos os estados pela Escola Nacional de Serviços Penais (Espen) do Depen, mediante solicitações conforme a necessidade de cada região. Para o curso de escolta armada, a Escola de Administração Penitenciária (Esap) da Seap, realizou o contato para que a capacitação fosse promovida para 30 servidores, entre agentes penitenciários de carreira do estado, policiais militares lotados nas áreas operacionais da Seap e policiais militares que atuam no Batalhão de Guardas das unidades prisionais.

Continuidade – A previsão é que os certificados neste primeiro módulo passem pelas outras fases do curso no início do ano que vem. Para os níveis intermediário e avançado serão aplicadas noções para comboio de viaturas, preparo e intervenções policiais em casos de emboscadas durante escoltas.

Foto: Sthefane Campos / Seap