Servidores municipais fazem manifestação na frente da Semef

Servidores municipais realizaram, na manhã desta quarta-feira (22), um ato público em frente à Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), no bairro Compensa, na zona Oeste.

A ação visa cobrar do órgão o andamento do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV) da categoria.

“Percebemos uma injustiça contra os servidores da área não específica. Toda semana são publicadas incorporações aos servidores da Semef, superior a R$ 5 mil, enquanto para nós, continua o salário-base de R$ 447,00, se aposentando com uma média de mil reais. Isso é um absurdo que somente com a implantação do PCCV vai começar a ser desfeito”, destaca o presidente da Associação dos Servidores Efetivos do Município de Manaus (Asemm), Lúcio Rocha.

Conforme Rocha, os servidores da área não específica estão sofrendo o achatamento dos seus salários para pagar as altas remunerações e as aposentadorias da Semef e da Procuradoria Geral do Município (PGM), que superam R$ 15 mil.

‘Estamos reivindicando os nossos direitos, queremos sensibilizar o prefeito, que não deve ter a dimensão do disparate desses números”.

Além da Asemm, o movimento é composto por mais cinco entidades representativas dos servidores: os Sindicatos dos Guardas Municipais do Estado do Amazonas (Sindguarda-AM); do Meio Ambiente (Sindiambiente); dos Trabalhadores Psicólogos do Amazonas (Sintrapsi); das Assistentes Sociais do Estado do Amazonas (Saseam), além da Associação dos Guardas Municipais de Manaus (Agmman).

Para a servidora Márcia Rocha, da  Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), o plano de cargos, carreiras e salários é importante para aumentar o quadro funcional do órgão.

“Já são 10 anos que a prefeitura tem conhecimento da situação das secretarias e não faz nada. Ela não oferece o plano de cargos, carreira e salários e isso vai nos ajudar. Muitos servidores precisam se aposentar e o quadro precisa ser renovado”.

A Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef) informou que a proposta feita pela liderança dos servidores de área não específica, está em análise pelos técnicos da área de orçamento da secretaria.

De acordo com o secretário da pasta, Lourival Praia, a proposta do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) desses servidores, que somam 1.340, representa um impacto de R$ 36 milhões anuais aos cofres do município, sem considerar a questão previdenciária.

“Precisamos analisar com cautela. No momento ainda não temos esses estudos concluídos”, disse Praia.

A Prefeitura de Manaus reforça o compromisso com a valorização do servidor, tendo este ano reajustado as datas-bases das seis categorias de áreas específicas e também da área não específica, que há 12 anos não recebia reajuste. O próximo passo é a efetivação do PCCV da área não específica, dentro dos limites orçamentários e de responsabilidade fiscal do município.

Compartilhe