Setor óptico recua no primeiro semestre

Contrariando as expectativas positivas para 2018 após um crescimento de 12% no ano passado em relação a 2016, o setor óptico apresentou no primeiro semestre, no acumulado dos últimos 12 meses, um decréscimo de 1% no faturamento. De acordo Bento Alcoforado, presidente da Associação Brasileira da Indústria Óptica (Abióptica), responsável pelo levantamento, o otimismo da indústria se devia ao fôlego que o setor retomou após anos de grandes quedas.

“Evidente que ainda não recuperamos as perdas, mas estávamos enxergando o lado positivo e esperando um crescimento de, no mínimo, 5%. Nossa expectativa era de que o setor se comportasse bem pelo menos até agosto, quando se iniciam as movimentações em torno da eleição presidencial”, analisa.

Segundo Alcoforado, anos de eleição presidencial, historicamente, costumam gerar insegurança no mercado, afetando a economia como um todo.

“Tivemos um turbilhão de más notícias e a indefinição do rumo que nossa política e economia irão tomar faz com que tanto empresários quanto consumidores fiquem mais cautelosos com seus investimentos.” O porta-voz da Abióptica acredita que o crescimento será retomado após a definição do presidente eleito. “Os empresários começarão a se organizar a partir disso”, aposta.

A alta do dólar, segundo o representante do setor, também impactou diretamente nas vendas, isso porque cerca de 90% do mercado óptico é suprido com importações. “Até maio, quando o dólar atingiu altos patamares, havíamos registrado um comportamento mais positivo”, relembra Alcoforado.

“Para o segundo semestre, o esperado é que o setor ‘ande de lado’ ou alcance, no máximo, o índice de 2%. Ainda estamos apostando em datas importantes para o varejo, como Black Friday e Natal, para revertermos esse quadro”, finaliza o presidente da Abióptica.

Compartilhe