Sintomas associados à queda de pelo em animais

Para amenizar a queda de pelo natural dos cães é necessário manter uma dieta saudável

A maioria dos cães e gatos solta pelos o ano inteiro, Isso pode ocorrer por diversos motivos, podendo ser ou não naturais. A queda fisiológica é decorrente do envelhecimento do próprio, ou do folículo do pelo, sua raiz, que cai para que outro nasça no lugar. Ela acontece normalmente em época prevista, e não acontece em um local específico da pelagem do cão, mas de maneira uniforme em todo o corpo. Isso não significa, no entanto, que o cão vai ficar “careca” : a queda somente é percebida com observação, pois os pelos apenas ficam menos densos.

“Existem muitos recursos para que essa fase seja enfrentada com o mínimo de transtornos, sendo a escovação frequente uma das dicas mais simples que, se adotada como parte da rotina, oferecerá um bom resultado. Normalmente ocorrem duas trocas sazonais mais intensas: na primavera, substituindo a pelagem por uma mais fina para o verão; e no outono, por uma mais densa e grossa, que tem o objetivo de auxiliar na proteção térmica no inverno”, enfatiza Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News (www.revistaecotour.tur.br).

A queda de pelo em cachorro é normal quando acontece de forma uniforme em todo o corpo do animal e não há a manifestação de nenhuma sintoma, como coceira, vermelhidão, inchaço ou mudança comportamental. Por isso, tenha sempre o cuidado de observar cuidadosamente a pelagem do seu animal de estimação.

Para amenizar a queda de pelo natural dos cães é necessário manter uma dieta saudável. Alguns alimentos e rações para animais podem não conter a quantidade necessária de nutrientes que eles precisam, e isso pode influenciar bastante na quantidade da queda de pelosl.Alguns alimentos são muito secos e, se o animal não consumir bastante água, podem acabar deixando-o desidratado, o que contribui para a queda de pelos. Alguns cachorros também podem apresentar alergias a certos alimentos e esse problema se apresentar na pele, influenciando na queda dos pelos.

Segundo a Dra Camila Coelho e Silva, especialista em dermatologia, da Clínica Cão.com, de Florianópolis – “nos gatos percebemos trocas de pelagem ao longo de todos os meses do ano, intensificando-se também nas épocas de troca de estação, como no caso dos cães. Mas nesses animais a queda tem bastante correlação com fatores de estresse. Quando se sentem desconfortáveis, desconfiados e acuados, soltam mais pelo que o normal.Nas mudanças sazonais, a queda intensa os não deve ultrapassar 30 dias e não produz falhas na pelagem, pois 50% dos pelos estão em fase anágena (de crescimento) e 50% em telógena (de dormência). Quando muitos pelos caem, aqueles folículos que estavam em fase de descanso são ativados. Se a perda de pelos está ocorrendo há muito tempo e existe a presença de outros sinais na pele e nos pelos (opacidade, falhas, odor forte que tende a não desaparecer com banhos, caspas etc.), pode haver outros fatores associados, como as doenças de pele” .

A queda patológica, também conhecida como alopecia, é a queda anormal dos pelos, que pode ter diversas causas. Doenças no pelo ou na pele do animal, como micoses, eczemas e sarna, por exemplo, além de muitas outras, podem ser a causa da queda anormal dos pelos.Outra possível causa está relacionada as doenças infecciosas. A avitaminose, que representa a ausência da vitamina A no corpo, pode causar a queda dos pelos, assim como a perda do brilho e da resistência dos mesmos.

É recomendado consultar um veterinário dermatologista para realizar o tratamento adequado nos casos de sarnas, alergias, micoses, seborreia e foliculite. O controle de ectoparasitas, como pulgas, carrapatos e ácaros da sarna, podem ser feitos mensalmente e também evitam coceiras e perdas de pelagem por arrancamento de pelos.

Na rotina de limpeza da casa para deixar o ambiente livre dos pelos é necessário aspirar. Passar pano úmido também faz com que os pelos sejam mais facilmente removidos. Outra opção bem útil são os rolos de papel adesivo, que podem ser passados em sofás, almofadas e roupas quando os pelos indesejáveis sugirem.

“Como podemos perceber, as causas da perda de pelo no cão são muito diversas, mas quem melhor pode determinar sua origem e, também, determinar a solução para este problema é um profissional. Se você perceber que o animal tem menos pelo ultimamente, não tenha dúvida e leve-o ao veterinário para que seja identificada a verdadeira causa”, conclui Vininha F. Carvalho