Sobe para 20 o número de pessoas que lincharam e queimaram corpo de preso em Borba

A Polícia Civil informou que subiu para 20 o número de pessoas suspeitas de participarem da depredação do prédio do 9ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e dos atos de violência que resultaram na morte de Gabriel Lima Cardoso – suspeito de matar e estuprar uma adolescente, em Borba, interior do Amazonas. Os crimes ocorreram no domingo (8).

O grupo aparece em vídeos que mostram os atos de vandalismo. As imagens foram registradas quando um grupo de moradores invadiu um quartel da PM, linchou e queimou o corpo de Gabriel Cardoso em uma fogueira.

A família do jovem questiona o Estado pela segurança ao preso. Eles pedem na Justiça uma indenização de R$ 400 mil. O pai do jovem, que é pastor da cidade, contou à imprensa que está recebendo ameaças.

Após a conclusão do inquérito, a Justiça deve julgar todos os envolvidos na revolta popular que terminou com Gabriel morto e a Delegacia da cidade represada.

Compartilhe