Startups amazonenses ganham destaque em evento Internacional de petróleo e gás

Com apoio do Sebrae no Amazonas, duas startups de Manaus foram convidadas como palestrantes no PetroNor, evento que busca novas tecnologias desenvolvidas para o setor de petróleo e gás

De 18 a 21 de julho, as startups DriveOn e Amazonzyme, criadas por amazonenses, ganharão destaque representando o Amazonas na VII Conferência e Encontro de Negócios do Setor de Petróleo do Norte e Nordeste do Brasil (PetroNor), que nesta edição acontece em Salvador (BA). As duas empresas, que foram selecionadas pelo Projeto de Petróleo e Gás do Sebrae no Amazonas, terão a oportunidade de apresentar seus serviços e tecnologias para representantes do Brasil e de países estrangeiros em busca de novos negócios e descobertas inovadoras no setor petroleiro.

O fundador da startup DriveOn, Expedito Belmont, conta que a empresa trabalha com tecnologias que auxiliam na mobilidade e segurança do transporte urbano e potencialmente de petróleo e gás. Com o uso de uma inteligência artificial, a startup consegue traçar o perfil de comportamento do condutor a partir da avaliação do caminho percorrido, indicando as chances de o motorista sofrer incidentes e também se o veículo precisa de manutenções antecipadas, garantindo a redução de custo para as empresas parceiras e usuários.

“Somos a primeira plataforma com os dados 100% em Blockchain (espécie de moeda virtual) e fornecedora de ativos digitais que trazem ganhos de ponta-a-ponta na rede de negócios com facilidade de integração a toda cadeia de fornecimento. Por meio da nossa indicação para o evento, feita pelo Sebrae Amazonas, teremos a oportunidade de conversar com empresários do setor de petróleo e gás de diversos campos, que são grandes potenciais de consumo do nosso serviço de tecnologias disruptivas. ” Conta, Belmont.

Outra startup amazonense que participará do evento é a Amazonzyme, que trabalha com o estudo de enzimas de micro-organismos da Amazônia para aplicação no setor de biocombustível, buscando potencializar o processo de obtenção de etanol a partir da biomassa vegetal.

Em 2011, a cidade de Manaus foi sede do evento e reuniu mais de 800 participantes, gerando R$10 milhões em negócios e parcerias. De acordo com a analista técnica e gestora do Projeto de Petróleo e Gás do Sebrae no Amazonas, Noira Auzier, o PetroNor representa uma grande chance para o Amazonas compartilhar suas pesquisas e tecnologias inovadoras acerca desse setor econômico em busca de possíveis negócios.

“Serão três dias de atividades que abordam o universo da exploração, produção, transporte e refino de petróleo e gás, onde essas duas startups terão a oportunidade de explicar como as tecnologias criadas no Amazonas podem ser introduzidas na gestão de grandes empresas petroleiras tanto em âmbito nacional quanto internacional.” explica a analista.