Susam implanta Plano de Prevenção ao Suicídio e Valorização da Vida

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) está implantando um Plano de Prevenção ao Suicídio e Valorização da Vida, que será executado a partir de novembro, com ações de capacitação direcionadas aos profissionais do setor que atuam em Manaus e nos municípios de São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga. As três cidades, conforme explicou o secretário estadual de Saúde, Orestes Guimarães de Melo Filho, são consideradas prioritárias na execução da estratégia, pelo número de casos que registram.

Os recursos para implantação do plano nesses três municípios, cerca de R$ 220 mil, foram liberados pelo Ministério da Saúde (MS), após aprovação, em maio, de projeto elaborado pela Rede de Atenção Psicossocial (Raps) do Amazonas. O projeto aprovado pelo MS tem a participação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis) de São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga.

De acordo com a coordenadora da Raps no Estado, Luciana Diederich, para início das ações, estão sendo detalhadas as estratégias e parcerias em cada município. A técnica da coordenação da Raps, Helione Pontes, está em articulação com os municípios para assessorá-los. Uma das primeiras atividades a serem desenvolvidas será a qualificação dos profissionais da saúde, em novembro, trabalho que será conduzido por especialistas do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). “Estudos apontam que a maioria dos casos de suicídio está vinculada a algum tipo de transtorno mental e que poderia ser prevenida. Isso mostra a importância da capacitação, de preparar os profissionais para que façam o acolhimento adequado às pessoas em risco de suicídio”, afirmou.

Dados da Associação Amazonense de Psiquiatria (AAP) mostram que 97% dos casos de suicídio têm diagnóstico de transtorno psiquiátrico. “É uma questão de saúde pública. Esse projeto é de grande valia para minimização dessas ocorrências, pois vem promover uma discussão mais ampla e aberta sobre a temática, com a efetivação de ações e políticas públicas em saúde”, ressaltou Luciana.

Setembro Amarelo – A Susam, destaca Luciana Diederich, enviou nota técnica aos municípios do Estado, para que intensifiquem as ações e estratégias de prevenção ao suicídio durante este mês, em alusão à campanha “Setembro Amarelo” que vem sendo adotada como uma potente intervenção para minimizar os índices de suicídios no Brasil. “Vários municípios estão realizando atividades dentro da campanha. Isso é fundamental para alcançarmos a meta do país, que é a redução de 10 dos óbitos por suicídio, até 2020. Saber o que fazer e o que não fazer diante de uma pessoa com risco de suicídio, bem como onde obter ajuda, pode salvar muitas vidas”, frisou.

Estatística – De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo, anualmente. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, 11 mil pessoas, em média, tiram a própria vida por ano. É a quarta maior causa de morte de brasileiros, entre 15 e 29 anos. Entre 2011 e 2015, o número de suicídios cresceu 12%, no país.