Suspeito de estuprar filha de 12 anos não tem boa recepção na cadeia

Um homem de 46 anos foi preso suspeito de estuprar a própria filha, de 12 anos, nesta segunda-feira (13), no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. Segundo a polícia, ele já abusava da vítima desde que ela tinha 11 anos de idade. Após a prisão, ele confessou que também abusava de outra filha, de 26 anos, desde os 3 anos. Ele já havia sido preso e cumprido pena pelo crime. Os presos o receberam com festa no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Em presídios, os estupradores são os primeiros alvos dos detentos. Assim que entra um novo Jack, os presos se reúnem para agredi-lo, estuprá-lo e até matá-lo na primeira ocasião. O homem teme ser morto na cadeia.

De acordo com a delegada Juliana Tuma, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente, (Depca), a vítima e a irmã de 26 anos denunciaram o crime na delegacia em julho de 2017. Na ocasião, uma medida protetiva em favor da adolescente foi requerida e determinou o afastamento do suspeito da casa onde morava com a companheira e as três filhas.

“Constatamos que, além de abusar sexualmente da filha dele de 12 anos desde os 11 anos de idade, o infrator também cometeu o mesmo crime com outra filha dele, atualmente com 26 anos. Na especializada, a mulher relatou que havia sido vítima de abusos sexuais cometidos pelo pai quando ela era criança”, explicou Tuma.

Ainda conforme Tuma, a adolescente de 12 anos foi submetida a exame de conjunção carnal no Instituto Médico Legal (IML), que constatou o crime. Durante depoimento na Depca o suspeito confirmou as acusações. Além das duas, o infrator tem mais uma filha de dois anos.

Após as constatações dos fatos, um mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável, em nome do homem, foi representado pela Justiça. O documento foi expedido no dia 9 de novembro deste ano, pela juíza Patrícia Chacon de Oliveira Loureiro, na Vara Especializada em Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes.

Na delegacia, o homem foi indiciado por estupro de vulnerável. Após os procedimentos cabíveis, ele deve ser encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.