Tecnologia digital ainda não chegou para cerca de 30% da indústria brasileira

Quase 30% das indústrias brasileiras ainda não utilizam tecnologia digital. É o que mostra pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), realizada no início de 2018. O percentual deixa claro que parte do setor industrial do país ainda precisa se adequar à nova revolução industrial, a Indústria 4.0, que traz a integração do mundo físico e virtual, por meio de inovações tecnológicas.

De acordo com o especialista em finanças e tecnologia, Edemilson Paraná, o Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer para acompanhar todas as mudanças da Indústria 4.0.

“Você tem uma série de questões que dificultam a nossa situação, que é todo o investimento em infraestrutura de produção, na cadeia produtiva da robótica, da ciência de dados e do software em geral no Brasil, que é um setor subdesenvolvido. Não só porque o país carece de uma infraestrutura, mas porque é uma indústria que tem tido pouco incentivo nos últimos anos.”

Para o diretor nacional de Operações do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Gustavo Leal, a Indústria 4.0 muda a forma de produção das coisas e traz ganho de produtividade e competitividade para a indústria. Mas explica que para que esse crescimento seja possível, é preciso investir em infraestrutura e capacitação profissional.

“Nós precisamos de estratégias muito bem definidas em relação à preparação de uma infraestrutura adequada para isso, principalmente no que diz respeito à conectividade, à velocidade de internet. Mas, talvez, o desafio principal seja a capacidade que o país venha a desenvolver de formar as pessoas com perfis competentes, adequados para esse novo patamar tecnológico.”

Priorizar políticas para a adoção das novas tecnologias e promover o desenvolvimento tecnológico no setor industrial, além de desenvolver estratégias para a formação e requalificação de profissionais, são algumas das propostas encaminhadas pela Confederação Nacional da Indústria aos candidatos à Presidência da República. As propostas foram definidas a partir de um estudo realizado pela CNI para identificar os principais problemas da indústria.

Segundo a CNI, o percentual de indústrias do país que utilizam pelo menos uma tecnologia digital passou de 63%, em 2016, para 73%, em 2018, mas apenas 48% das empresas reconhecem a importância das tecnologias digitais e pretendem investir em recursos da Indústria 4.0.

Reportagem, Aline Dias