Trabalhos realizados na Fundação de Medicina Tropical são premiados em Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina

Três alunos de pós-graduação da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), foram premiados entre os melhores trabalhos de pesquisa apresentados no Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. São alunos de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical (PPGMT) da FMT-HVD em convênio com a Universidade Estadual do Amazonas (UEA), além de uma aluna do Programa de Iniciação Científica ( PAIC), da fundação.

No evento, realizado em Recife (PE), a aluna de mestrado Laila Rowena Albuquerque Barbosa, orientada pela professora Doutora Gisely Cardoso de Melo, conquistou a primeira colocação na categoria mestrado, com trabalho sobre resistência parasitária aos medicamentos antimaláricos. O aluno Hiochelson Najibe dos Santos Ibiapina, orientado pelo professor Doutor Wuelton Monteiro, recebeu o prêmio de terceiro colocado na categoria mestrado, apresentando um trabalho sobre a imunologia local nas lesões ofídicas. Já a aluna Macejane Ferreira de Souza, orientada pela professora Doutora Stefanie Lopes, recebeu o prêmio de terceiro colocada na categoria Iniciação Científica, apresentando trabalho sobre as drogas para o bloqueio de transmissão de malária, dos humanos para os mosquitos.

De acordo com o diretor presidente da FMT-HVD, Marcus Guerra, o resultado é um reconhecimento à excelência da fundação, referência em doenças tropicais no Brasil e no mundo. “Temos que reconhecer, também, o trabalho e a dedicação de nossos profissionais, que atuam tanto na assistência quanto na pesquisa e também na formação dos pesquisadores e médicos do futuro”, disse.

Para o diretor de Ensino e Pesquisa da FMT-HVD, Wuelton Monteiro, os prêmios demonstram a excelência que os programas de pós-graduação e iniciação científica vêm atingindo, atraindo alunos com grande potencial e que desenvolvem projetos de extrema relevância para o sistema de saúde. “Isso é motivo de orgulho para a FMT-HVD e para a pesquisa no Amazonas”, afirmou.