Treinamento em novo sistema do Bolsa Família começa no Amazonas

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) iniciou nesta terça-feira (21/08) uma capacitação aos profissionais da área, para garantir que as 354 mil famílias cadastradas no Bolsa Família, no Amazonas, recebam acompanhamento básico de saúde e, com isso, permaneçam sendo atendidas pelo programa.

Uma das condições para inclusão e permanência no programa do governo federal, criado em 2004, é que mulheres e crianças menores de sete anos recebam acompanhamento das equipes de saúde no município. No caso das mulheres, pré-natal realizado adequadamente. No caso das crianças, acompanhamento de crescimento, peso e vacinação.

Para que isso ocorra, cada município tem dentro de sua secretaria um coordenador do “Bolsa Família na Saúde”. Entre outras atividades, esse profissional é responsável por garantir que todas as informações relacionadas ao atendimento no setor de saúde dos beneficiários do programa sejam inseridas em um sistema nacional.

Com as informações em sua base de dados, os governos (municipais, estaduais e federal) podem acompanhar a evolução dos beneficiários do programa no tocante à saúde. E, em cima de relatórios, trabalhar suas políticas públicas na área.

Nesta terça (21/08) e quarta-feira (22/08), os profissionais dos municípios do Estado participam de uma capacitação para conhecer o novo sistema criado pelo Ministério da Saúde (MS) para receber as informações. A cada seis meses, os dados dessa base são analisados pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que é o órgão que coordena o programa Bolsa Família.

O município que não apresentar uma boa cobertura de acompanhamento das famílias, não só na saúde, mas também na educação e assistência social, acaba perdendo recursos para gerenciar o programa. O problema não ameaça nenhuma cidade do Amazonas, graças ao empenho de cada profissional, elogiou a coordenadora estadual do Bolsa Família na Saúde da Susam, a nutricionista Joselina de Castro. “O Estado do Amazonas está em destaque nas últimas quatro vigências (semestres). Temos nos mantidos no 1º lugar do Brasil. E isso é um mérito de cada um de vocês”, elogiou Joselina, na abertura da capacitação, que está sendo realizada no auditório da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), na avenida Joaquim Nabuco.

A responsável pela apresentação do novo sistema aos profissionais do Amazonas é a técnica da coordenação geral de Alimentação e Nutrição do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Maria Fernanda Moratori Alves. Ela explica que a mudança do sistema se deu mais por razões de tecnologia. “O sistema antigo vinha com dificuldades há muito tempo. Esse sistema estava desde que o Bolsa Família foi criado, em 2004, então, no tocante à informática, ele estava em uma plataforma bem desatualizada. O principal motivo da mudança, portanto, é a atualização dessa linguagem de informática”, explicou Maria Fernanda.

Ela ressaltou que, como toda novidade, o atual sistema passa por testes e dificuldades, que já eram previstas e que estão sendo solucionados. Segundo ela, prevendo que o número de registros de informações possa cair nesse semestre, por conta da mudança, o MS já fez uma consulta ao Ministério do Desenvolvimento Social sobre a possibilidade de considerar na próxima vigência os índices do período anterior.

Apesar de todas as dificuldades tecnológicas e de geografia, o Amazonas vem liderando a lista de Estados com maior cobertura na saúde, dos beneficiários do Bolsa Família. De 354.842 famílias inseridas no programa atualmente, 309.900 foram acompanhadas na área de saúde, o que representa uma cobertura de 87,33%.“Esse resultado demonstra o compromisso de cada um dos senhores em relação a este programa. Quero parabenizar a todos pelos resultados, que demonstram o compromisso do Amazonas em relação à superação do fator amazônico. Com os números alcançados no Bolsa Família, o Amazonas dá exemplo de que é capaz de superar as dificuldades”, elogiou o diretor do Departamento de Atenção Básica e Ações Estratégicas da Susam, Jani Kenta, durante a recepção dos profissionais.

Boa Vista do Ramos (a 271 quilômetros de Manaus em linha reta) é um dos municípios que ajudam o Amazonas a liderar o ranking de Estado com maior cobertura das famílias do Bolsa Família na área da saúde. Atualmente, o município cobre 100% das 2.400 famílias inscritas no programa. “Para que possamos alcançar essa meta de 100%, fazemos todo um trabalho com os agentes de saúde, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Todo início de vigência tem uma capacitação para os agentes de saúde comunitária. Depois, os agentes vão para as comunidades fazer o acompanhamento da saúde das pessoas, e levam as informações de volta para o município, para que sejam inseridas no sistema”, contou a coordenadora local do Bolsa Família na Saúde, a nutricionista Adiane Tavares.

Adiane conta que o trabalho nem sempre é fácil, uma vez que algumas famílias não querem procurar os serviços de saúde. “Tem famílias que não querem fazer o acompanhamento, mesmo sendo obrigatório. Nesses casos, a gente vai atrás, faz visita domiciliar, e assim temos conseguido alcançar a meta”, explicou a nutricionista.

A meta anual estabelecida pelo governo federal é que pelo menos 74% dos beneficiários do Bolsa Família estejam sendo acompanhados pelos serviços de atenção básica no País. Em 2017, o Amazonas despontou como o Estado de maior cobertura, com 88% das famílias alcançadas. Este ano, a cobertura já está em 87,33%. Municípios como Urucurituba, Boa Vista do Ramos e Nhamundá estão com 100% de cobertura.

Na quarta-feira (22/08), profissionais do Bolsa Família na Educação e na Assistência também receberam informações sobre os novos sistemas implantados pelo governo federal no programa. Por isso, a Susam e a Secretaria de Assistência Social (Seas) são parceiras na capacitação.

FOTO: DIVULGAÇÃO/SUSAM