O Tribunal de Justiça de Minas definirá amanhã se vai anular a certidão de óbito de Eliza Samudio, o que pode causar reviravolta no caso Bruno.

REFEITO

Caso o tribunal decida pela anulação do documento, o julgamento que condenou o goleiro Bruno Fernandes, o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, terá que ser refeito.

CANCELADO

O advogado de Bruno disse que, caso o tribunal entenda que a certidão de óbito foi ilegal, o julgamento que aconteceu em 2013 e condenou o ex-jogador a 22 anos e 3 meses de prisão pode ser cancelado, por ter sido baseado em um documento ilegítimo.

REVISÃO

Outro recurso também será analisado amanhã. Nele, a defesa pede revisão da pena do goleiro, considerada exagerada pelos advogados.