Veja vídeo – Polícia Civil prende membro de facção criminosa que matou colombiano

O Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) cumpriu mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado, em nome de Hilton Mario Souza Albuquerque, 34, membro de uma facção criminosa que atua no Estado.

De acordo com o diretor do DRCO, delegado Juan Valério, o infrator é autor do homicídio do colombiano Yuri Alexander Ayala Avila, ocorrido no dia 14 de janeiro deste ano, na rua José Paranaguá, bairro Centro, zona sul da capital. Na ocasião, Hilton chegou no local onde Yuri estava e alvejou a vítima. A vítima morreu no lugar. Yuri tinha 48 anos.

“Na época do delito eu estava à frente da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A partir do momento que tomamos conhecimento do crime, demos início às investigações em torno do caso. Identificamos que Hilton efetuou os disparos que causaram a morte da vítima. Então representei à Justiça o pedido de prisão preventiva por homicídio em nome dele. Na tarde de quinta-feira (9/8), por volta das 15h30, conseguimos efetuar a prisão de Hilton, na avenida Duque de Caxias, bairro Praça 14 de Janeiro, zona sul da capital”, explicou Valério.

O mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado em nome de Hilton foi expedido no dia 9 de maio deste ano, pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Conforme o diretor DRCO, Hilton era um dos principais soldados do traficante Jamerson Albuquerque de Oliveira, conhecido como “Gogonha”, morto no dia 4 de novembro de 2017, na avenida Tarumã, bairro Praça 14 de Janeiro. Jamerson tinha 33 anos e comandava a comercialização de drogas no bairro onde foi executado. Ele era membro de uma facção criminosa que atua no Amazonas.

“Ao conduzirmos Hilton para a base do DRCO, ele confessou o homicídio de Yuri. Agora vamos investigar o motivo dele ter matado a vítima, pois ainda não compreendemos se Yuri estava devendo dinheiro para a facção criminosa a qual “Gogonha” fazia parte e, por isso foi morto, ou o contrário. O nosso principal objetivo é tirar de circulação esses elementos, pois em algum momento eles podem atingir pessoas inocentes”, argumentou o delegado.

Em consulta no Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), foi verificado que Hilton já possui passagem pela polícia por tráfico de drogas. “Vamos dar continuidade às investigações em conjunto com a equipe da DEHS, a fim de descartamos a possibilidade da participação de Hilton em outros homicídios ocorridos na capital”, afirmou Valério.

Hilton foi indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis na base do DRCO, o infrator será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Veja o vídeo

FOTO e VÍdeo: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.