Zona Azul afeta o comércio no Centro de Manaus, diz Fecomércio-AM

O atual sistema de estacionamento tarifado, Zona Azul, está deixando o Centro da cidade vazio e o comércio perdendo clientes, segundo informações daFederação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas (FecomércioAM). Após a implantação da modalidade, comerciantes e consumidores reclamam do modelo executado na capital.

De acordo com o presidente da Fecomércio-AM, José Roberto Tadros, o sistema dificulta o acesso ao comércio, já que os usuários precisam ir até uma loja credenciada ou ter internet para entrar no aplicativo ou site. Além do valor da taxa e limitação de tempo para ficar estacionado. “Vai acontecer uma redução no faturamento, ocasionando por via de consequência a redução de emprego e a redução dos tributos, diante desses óbices (empecilhos) que estão sendo criados na Zona Azul”, explicou.

O valor do estacionamento é de R$2,45 a hora, o motorista que ultrapassar o prazo máximo de permanência de três horas poderá ter o veículo autuado pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).  Sendo considerada uma infração grave, com multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O autônomo Matheus Leandro Mendonça Figueiredo, 23, conta que o sistema que prometia organizar o fluxo de estacionamento de veículos no Centro da cidade pode prejudicar alguns usuários. “Nem todo mundo tem acesso à internet 24 horas por dia para entrar no site ou no aplicativo. Ou é isso, ou é ir atrás de uma loja credenciada, o que na correria do centro é difícil. Logo sou obrigado a ter o aplicativo e ter internet ou ir para um estacionamento rotativo. E tem a questão da fiscalização, se eu não usar o aplicativo e estacionar na rua serei multado e guinchado”, disse.